Ablação de Taquicardia Supraventricular

Ablação de Taquicardia Supraventricular

Ablacao-de-taquicardia-supraventricularPor Radiofrequência:

Ablação por Radiofrequência é um procedimento utilizado para o tratamento de vários tipos de arritmias cardíacas que aceleram o batimento cardíaco. Sucintamente, trata-se de uma cauterização cardíaca feita com cateteres especiais introduzidos através das veias da virilha esquerda e/ou direita por meio dos quais uma corrente elétrica chamada energia de radiofrequência é aplicada para queimar o foco da arritmia.

Antes de falarmos sobre o procedimento, é preciso explicar o que é o sistema elétrico do coração e como ele funciona.

Ablacao-de-taquicardia-supraventricularO coração tem seu próprio “marcapasso natural”, chamado nó sinusal ou nó sinoatrial. Ele envia impulsos elétricos regulares, que viajam através de “caminhos elétricos” dentro do coração fazendo com que os ventrículos (as duas câmaras inferiores do coração) façam o bombeamento do sangue do coração para os pulmões e para o resto do corpo, fazendo o sangue circular por todo o organismo.

Um coração adulto normalmente tem um batimento cardíaco regular, entre 60 e 100 batimentos por minuto em repouso. Quando em exercício, os batimentos sobem a uma taxa maior, dependendo da sua idade e condicionamento físico.

Ablacao-de-taquicardia-supraventricularEm algumas situações, o sistema elétrico encontra-se alterado por um “curto-circuito” que pode produzir taquicardias ou batimentos rápidos (palpitações), acompanhados de tonturas (pré-síncopes), desmaios (síncopes), cansaço, respiração curta, dor ou opressão no peito.


Tipos de Taquicardias

  • Taquicardias supraventriculares são ritmos rápidos, geralmente com mais de 120 batimentos por minuto, e são conhecidas como: Fibrilação atrial, Flutter atrial, Taquicardias atriais, Taquicardias nodais, Taquicardias atrioventriculares por vias anômalas (Síndrome de Wolff-Parkinson-White).
  • Taquicardias Ventriculares também são ritmos rápidos, que se originam nos ventrículos (parte de baixo do coração), e são, geralmente, mais perigosas que as taquicardias supraventriculares.

Quando está indicada a ablação?

A ablação está indicada em pacientes nos quais os remédios não estão mais funcionando, nos pacientes que estão tendo efeitos colaterais e mesmo nos pacientes que preferem não tomar remédios para tratar a arritmia. O seu médico cardiologista irá decidir qual o melhor momento para indicar a ablação.


Como fica a medicação?

Ablacao-de-taquicardia-supraventricularAlguns remédios deverão ser suspensos dias antes do procedimento. Você será informado com antecedência pela Equipe de Eletrofisiologia sobre a suspensão ou não dos medicamentos. Como o procedimento de ablação é muito seguro e eficaz, muitos médicos preferem indicar a ablação mesmo antes de tentar algum tipo de remédio.


Como é feita a Ablação?

Chegando à sala de exames, será recebido pela equipe de enfermagem e anestesia que irá prepará-lo para o procedimento. Você será conectado a alguns monitores (monitor de eletrocardiograma, aparelhos de pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória).

O procedimento é acompanhado por um anestesista, portanto você receberá uma sedação para ficar mais confortável durante o procedimento. A enfermagem irá fazer a limpeza da pele utilizando solução anti-séptica na região da virilha direita e/ou esquerda e na região torácica.

Ablacao-de-taquicardia-supraventricularO médico irá fazer a anestesia local na região da virilha direita e/ou esquerda e ocasionalmente no lado direito do pescoço, mas você já estará dormindo. Nesses locais serão introduzidos cateteres na veia e/ou na artéria, que serão levados até as cavidades direita e/ou esquerda do coração, guiados pela imagem radiológica (raios X). Em alguns pacientes, faz-se necessário uma punção transeptal que dá acesso ao lado esquerdo do coração sem a realização de uma punção na artéria femoral.

Os cateteres captam sinais gerados pela atividade elétrica do coração, que são registrados em aparelhos especiais. Através deles, será feita a ablação com radiofrequência nos locais selecionados. Não se preocupe, pois, para o seu conforto, você estará dormindo durante todo o exame.

A ablação dura aproximadamente 2 horas. Ao término do procedimento, será feita compressão no local da punção por 10 a 15 minutos. A seguir, você será encaminhado para a sala de recuperação.


Prepare-se para o exame

  • Você precisa ter lido e assinado o consentimento informado que explica quais os riscos da ablação que será feita no seu caso.
  • Tire todas as dúvidas antes procedimento!
  • Você precisará estar em jejum absoluto de 6 (seis) horas;
  • Retirar a prótese dentária (dentadura), remover batom, esmalte das unhas, jóias ou bijuterias e entregá-los à pessoa que o estiver acompanhando;
  • No hospital, será feita a depilação na região da virilha direita e esquerda e na região torácica à altura do peito.


Após o procedimento

  • Será feito um curativo especial no local da punção (virilha), sem precisar dar pontos.
  • Você deverá permanecer em repouso absoluto com a perna imobilizada por 4-6 horas, conforme orientação médica e da enfermagem.
  • Informe a enfermeira se estiver com dor, calor ou sangramento no local da punção.
  • A alimentação será liberada quando você estiver bem acordado.
  • A pressão sanguínea, o pulso e o local do curativo serão examinados atentamente pela enfermagem.
  • Evite esforços excessivos por um período de 24 horas.
  • Na semana após o procedimento, pode aparecer hematoma na região da virilha onde os cateteres foram inseridos. O hematoma pode descer para as pernas ou para a região genital. Geralmente, ele desaparece espontaneamente em 2 semanas. Se hematoma aumentar, ficar dolorido ou muito quente, entre em contato conosco.


Na alta hospitalar

  • Você será orientado pela enfermeira quanto aos cuidados com o local da punção, não havendo necessidade de refazer o curativo. Apenas lave-o com água e sabão, mantendo-o sempre seco e limpo.
  • Tome somente os remédios receitados pelo seu médico.
  • O retorno ao trabalho geralmente ocorre dentro de uma semana, mas será confirmado com seu médico. Você receberá um atestado médico para dispensa do trabalho durante esse período caso precisar.
  • Você receberá um relatório completo contendo as informações sobre o que foi realizado.

Preste Atenção:

Em até 5% dos casos, a arritmia poderá voltar após a ablação. Nestes casos, procure o seu médico ou o Serviço de Pronto Socorro da sua cidade; mas não se esqueça de nos comunicar sobre o que aconteceu, assim que tiver possibilidade, pois estaremos a sua disposição para qualquer esclarecimento.

De maneira geral, recomenda-se a repetição da ablação se a arritmia voltar.


No dia do Procedimento:

  1. Se você estiver tomando algum medicamento anticoagulante, não pare de tomar esse remédio! Tome o anticoagulante normalmente NO DIA ANTERIOR ao procedimento.
    NÃO TOME O REMÉDIO NO DIA DA ABLAÇÃO!
  2. Jejum absoluto de 6 horas
  3. Trazer receita das medicações que está tomando
  4. Trazer RG e carteira do convênio
  5. Trazer objetos pessoais de higiene
  6. Vir acompanhado

Ablacao-de-taquicardia-supraventricular


Check List Rápido para a Ablação
1) Agendar a Avaliação com Anestesista:
Anestesistas Associados – Fone: (48) 3222-8690
Av. Othon Gama D´Eça, Ed. Casa do Barão, nº 900,
2º andar, sala 211 / Centro de Florianópolis.

2) Para a Consulta com Anestesista

  • Levar exames de laboratório e Raio X conforme solicitado;
  • Levar RG, Carteira do Convênio;
  • Exames Anteriores que tiver.

3) Para Colher o Exame de Sangue e Urina (Pré-Operatório)

  • Jejum de 4hs;
  • Estar sem urinar por 2 horas.

Ablacao-de-taquicardia-supraventricular


Como nos encontrar:

Nossa equipe encontra-se sediada no Hospital SOS Cárdio em Florianópolis, mas os médicos também trabalham em seus consultórios privados. Em caso de Emergência, procure alguém da equipe ou atendimento na Emergência do Hospital SOS Cárdio ou em hospital mais próximo da sua casa.

Entre em contato conosco!

Florianópolis

  • Dr. André d’Avila – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio –(48) 3212-5055
  • Dr. Alexander Dal Forno – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica UNICARDIO – (48) 3028-2300
  • Dr. Helcio Nascimento – Arritmologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica Prevencordis – (48) 3037-3900 ou 3037-3937
  • Dr. Fabrício Mallmann – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica Prevencordis – (48) 3037-3900 ou 3037-3937

Blumenau

  • Dr. Andrei Lewandowski – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica Cardio Prime – Blumenau – (47) 3041-2130

Enfermeira

  • Gabrielala Geraldi – Enfermeira da Equipe de Arritmias
    Hospital SOS Cárdio.
    Telefone (48) 3212-5055 e (48) 9922-1422
    Email: gabriela@sinuscordis.com.br

Administrativo

  • Morgana Roberto
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055 e 8448-7768
    Email morgana@sinuscordis.com
  • Cristiane Toshimitsu
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055 e 9947-8512
    Email cristiane@sinuscordis.com
  • Simone Souza
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Email: simonesouza@sinuscordis.com