Implante de Marcapasso

Como o coração bate normalmente?

Para entender como funciona um marcapasso, é preciso saber como o coração bate normalmente e como ele bombeia sangue pelo seu corpo.

implante-de-marcapassoO coração tem seu próprio “marcapasso natural”, chamado nó sinusal ou nó sinoatrial. Ele envia impulsos elétricos regulares, que viajam através de “caminhos elétricos” dentro do coração fazendo com que os ventrículos (as duas câmaras inferiores do coração) façam o bombeamento do sangue do coração para os pulmões e para o resto do corpo, fazendo o sangue circular por todo o organismo.

Um coração adulto normal tem um batimento cardíaco regular, que é geralmente entre 60 e 100 bpm (batimentos por minuto) enquanto está em repouso. Quando em exercício, este número pode subir a uma taxa maior, dependendo da idade e condicionamento físico.

Se houver um problema com o sistema elétrico normal do seu coração e alguma alteração com as suas batidas cardíacas, você pode precisar de um implante de marcapasso por uma das seguintes razões:

  • implante-de-marcapasso– Doença do nó sinusal: quando o nó sinusal (o marcapasso natural do coração) parar de funcionar corretamente.
  • – Bloqueio cardíaco: (também chamado de bloqueio atrioventicular ou bloqueio cardíaco AV) quando há um problema com o nó AV (caminho elétrico) e existe um atraso ou um bloqueio do impulso elétrico entre os átrios e os ventrículos.
  • – Fibrilação atrial: é um ritmo cardíaco irregular que se origina nos átrios (as duas câmaras cardíacas superiores), e pode ser muito rápido ou muito lento. Se ele faz o seu coração bater muito lentamente você pode precisar de um marcapasso.


Como funciona um marcapasso?

implante-de-marcapassoUm marcapasso contém um gerador de pulsos elétricos (a caixa do marcapasso) com 1, 2 ou até 3 eletrodos. Eletrodos são fios elétricos finos que levam os impulsos elétricos gerados pelo marcapasso até o coração.

O gerador é composto pela bateria (que fornece a energia para o funcionamento do marcapasso), pelo o circuito eletrônico que contém software especial e pela memória que guarda todas as informações do seu ritmo cardíaco. Ele pesa cerca de 20 a 50 gramas e é menor que uma caixa de fósforos.

A bateria do marcapasso é de lítio e geralmente dura entre seis e doze anos. A vida da bateria depende de quanto o marcapasso tem que trabalhar e como é programado de acordo com sua condição cardíaca particular.

O eletrodo conduz os impulsos elétricos desde o gerador até o coração. Cada impulso elétrico enviado pelo marcapasso estimula a contração do coração na parte em que ele foi implantado. A frequência cardíaca pode variar de acordo com a programação feita no marcapasso.

Quando programamos a frequência cardíaca no marcapasso não significa que você estará com essa frequência cardíaca. Como o marcapasso tem capacidade de gerar impulsos cardíacos e também sentir se o coração esta batendo corretamente sozinho, ele estimulará o coração somente quando o ritmo cardíaco começar a ficar lento. Da mesma forma, o marcapasso monitorará a sua frequência cardíaca e entrará somente quando for necessário.

Existem vários tipos de marcapasso:

  • implante-de-marcapasso– Marcapasso de câmara única
    Marcapassos de câmara única tem apenas um condutor (eletrodo) que está ligado ao ventrículo ou ao átrio.
  • – Marcapasso de câmara dupla
    Marcapassos de câmara dupla tem dois condutores (eletrodos). Normalmente um deles está ligado ao átrio e outro ao ventrículo direito.
  • – Marcapasso biventricular
    Em um marcapasso biventricular, um eletrodo está ligado ao átrio direito, um no ventrículo direito e um terceiro eletrodo no ventrículo esquerdo.

Alguns tipos de marcapasso também podem acelerar o ritmo do coração quando você está em atividade ou em exercício. O marcapasso faz isso usando um sensor especial que reconhece os movimentos do corpo e reage como se o coração estivesse funcionando normalmente. Este sensor controla o ritmo do marcapasso enquanto você está se exercitando e depois permite que o ritmo volte ao normal quando você parar o exercício.

A programação do marcapasso pode ser alterada em qualquer momento que o médico julgar necessário, mesmo após o implante. Isso geralmente é feito no consultório médico, quando você voltar para consultas de acompanhamento.

Alguns marcapassos podem ser acompanhados a distância pela equipe médica que lhe acompanha. Isso é realizado com um aparelho extra que se comunica com o marcapasso quando eles são aproximados e envia mensagens sobre o funcionamento do marcapasso através de conexões com a internet.


Como o marcapasso é implantado?

implante-de-marcapassoO marcapasso é implantado através de uma incisão (corte na pele) na região do tórax, embaixo da clavícula. Através dessa incisão os eletrodos são levados até o coração por dentro de veias calibrosas que passam pela região do ombro e vão até o coração. No coração, os eletrodos são fixados nos locais desejados e são realizados testes de funcionamento do gerador e dos eletrodos. O gerador é implantado entre os músculos do tórax e a pele do paciente.

O implante é feito com a presença de um anestesista e o paciente recebe sedação e anestesia no local do implante.

O marcapasso é inserido em condições estéreis. Mesmo assim, você receberá antibiótico antes do procedimento para reduzir o risco de infecção no local do implante do marcapasso.


Depois de ter seu marcapasso implantado e antes de deixar o hospital:

  • Após o seu marcapasso ter sido implantado, a equipe de enfermagem irá avaliá-lo regularmente, monitorando sua pressão arterial, seu ritmo cardíaco e irá verificar qualquer hemorragia ou inchaço no local da incisão, comunicando o médico.
  • – Consultas de acompanhamento
    As revisões de marcapasso não são dolorosas porque são realizadas do lado de fora do seu corpo. Desta forma, eles podem encontrar e corrigir eventuais falhas.
    É muito importante marcar as consultas de acompanhamento do marcapasso a cada 3 a 12 meses (dependendo do tipo de marcapasso e de como ele está funcionado) para detectar qualquer problema precocemente. Você terá que ter as consultas de acompanhamento para o resto de sua vida. O médico que avalia seu marcapasso irá decidir de quanto em quanto tempo você precisará voltar.A consulta para acompanhamento do marcapasso não substitui a consulta com seu cardiologista/clínico geral.
  • – Trocando a bateria
    Para trocar a bateria do marcapasso é preciso trocar toda a caixa de marcapasso por uma nova unidade. As baterias duram de 6 a 10 anos. O eletrodo (ou eletrodos) geralmente não é trocado se estiver em boas condições. Ocasionalmente, pode haver problemas com os eletrodos e eles também serão substituídos. A troca da bateria é um procedimento geralmente mais simples e rápido do que o primeiro implante de marcapasso.
    Alguns países podem insistir que você deva passar pelo sistema de segurança. É improvável que o seu marcapasso seja afetado passando por esses sistemas. Se for o seu caso, passe rapidamente pelo detector de metais e não fique perto dele por muito tempo.
  • – Sistemas de segurança em lojas
    Muitas lojas têm detectores anti-roubo em suas portas de saída. É melhor não ficar muito próximo desse tipo de sistema de segurança por muito tempo. Se você passar sem parar através delas e não demorar, não haverá nenhum problema com o seu marcapasso.
  • – Exames e tratamentos médicos e odontológicos
    Alguns equipamentos hospitalares podem interferir com o marcapasso. Alguns tipos de equipamentos usados ​​na cirurgia como o cauterizador também podem causar problemas. Sempre avise o médico que irá fazer qualquer tipo de procedimento e que você é portador de marcapassa antes da cirurgia.Exames de ressonância magnética já podem ser realizados em portadores de marcapasso, dependendo do tipo de marcapasso que você utilizar. Nestes casos, algumas modificações serão necessárias para a realização do exame. Sempre avise a equipe de marcapasso se você precisa realizar uma ressonância magnética. Da mesma forma, sempre avise o Serviço de Ressonância Magnética que você tem um marcapasso antes de fazer o exame.A maioria dos outros exames médicos e odontológicos podem ser realizados, mas certifique-se sempre que os médicos que o acompanham estejam cientes de que é portador de marcapasso.
  • – Você terá que ficar na cama e fazer repouso por cerca de 12 horas após o procedimento. Uma vez que a sedação vai passando e você começar a acordar, será liberado para comer e beber.
  • – Você terá que ter cuidado para não colocar muita pressão sobre o braço próximo ao local do marcapasso (normalmente o braço esquerdo) ou para levantar o braço. Seu médico e a equipe do hospital vão orientá-lo sobre a melhor maneira de se sentar e de como mover o braço. Isso ajuda a prevenir que os eletrodos do marcapasso se movam.
  • – Será feito um curativo de proteção sobre a ferida e talvez um acolchoamento extra sobre ele para fazer mais pressão sobre o corte, reduzindo o risco de sangramento. Algumas vezes usamos um peso de até 2 kg sobre o local da cirurgia por algumas horas, para prevenir sangramentos.
  • – Os pontos utilizados para fechar o corte são, na maioria, absorvíveis, não havendo necessidade de serem retirados. Caso haja necessidade você será orientado.
  • – Você receberá analgésico para tomar quando sentir dor.
  • – Um raio-X será feito no dia seguinte ao implante e antes de receber alta, para certificar-se que os eletrodos do marcapasso estão na posição correta e para avaliar quaisquer complicações que possam surgir após o implante.
  • – O eletrofisiologista cardíaco irá verificar o seu marcapasso e os eletrodos eletronicamente utilizando um programador especial para verificar se as configurações escolhidas estão corretas.

Fique Atento!

Antes de deixar o hospital, será dado a você um cartão de identificação do marcapasso. Nele existem detalhes da marca e modelo do seu marcapasso.
Você deve sempre levar este cartão para situações de emergência ou nas consultas.


Possíveis complicações:

  • – Infecção: Há sempre um pequeno risco de contrair uma infecção no local onde o marcapasso foi implantado. Se, depois de chegar em casa, seu corte ficar mais vermelho ou inchado, se perceber secreção na ferida ou apresentar temperatura maior que 37,8°, por favor, entre em contato com a nossa equipe imediatamente! Você precisa ser reavaliado por algum membro da equipe, pois esses sinais podem representar uma infecção.
  • – Hemorragia: Como em qualquer procedimento cirúrgico que necessite uma incisão (corte), há risco de aparecer um hematoma no local do corte. Se isso acontecer, a equipe de enfermagem pode precisar aplicar curativos compressivos no local da ferida para ajudar a diminuir o hematoma.
    Os hematomas são mais comuns se você estiver em uso de varfarina, aspirina, clopidrogel ou outros medicamentos que reduzem a coagulação do sangue (afinam o sangue).
    Em alguns casos raros, é necessário voltar para a sala de operação para controlar o hematoma. Geralmente, o hematoma aparece como uma mancha roxa no peito, abaixo do corte e, com o passar dos dias, passa para o braço; a mancha ficará amarelada e após algumas semanas, desaparecerá espontaneamente.Quando houver um hematoma, não há necessidade de passar pomada no local. Sempre consulte a equipe antes de passar qualquer produto no corte do marcapasso. Esses remédios aumentam o risco de infecção e não auxiliam no processo de cicatrização.
  • – Pneumotórax/Hemotórax: Existe um pequeno risco de desenvolver um pneumotórax/hemotórax (entrada de ar ou sangue na pleura). Os médicos irão verificar no raio-x de tórax que você irá fazer no dia seguinte ao implante se este risco aconteceu. Caso isto tenha ocorrido, poderá resolver espontaneamente, mas em alguns casos, pode ser necessária a colocação de um dreno no toráx.
  • – Deslocamento do eletrodo: Há um pequeno risco de que um dos eletrodos do marcapasso saia do lugar. Para reduzir o risco de deslocamento, é melhor evitar atividade física e movimentar com cautela o braço do lado do marcapasso até a primeira revisão do marcapasso, cerca de quatro semanas depois do implante. Nesse primeiro mês após o implante, NÃO levante peso nem erga o braço acima da altura do ombro.
  • – Problemas técnicos: É muito raro hoje em dia marcapassos terem falhas técnicas, como falha de bateria ou um eletrodo quebrado ou não funcionando corretamente. Por isso, é tão importante fazer o acompanhamento regular para detectar eventuais problemas.

Veicular em portadores de dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis (DCEI) e arritmias cardíacas. Volume 99, Nº 4, Suplemento 1, Outubro 2012.” Disponível no site: http://www.scielo.br/pdf/abc/v99n4s1/v99n4s1a01.pdf


Esportes

É importante não fazer qualquer atividade vigorosa até seu retorno para acompanhamento do marcapasso, 4 semanas após o implante. Após isso, de acordo com a orientação do seu médico, você pode continuar a praticar a maioria das atividades físicas e esportes. Você deve tomar cuidado com esportes de muito contato para evitar colisões, já que podem danificar o seu marcapasso. Deverá evitar também atividades que façam movimentos repetitivos com o braço do marcapasso, como natação e tênis, caso você use o braço próximo ao local do implante do marcapasso.


O Dia-a-Dia com Marcapasso

Marcapassos modernos são confortáveis, muito confiáveis e permitem voltar a uma vida normal muito rapidamente. Algumas pessoas descobrem que o marcapasso melhora a sua qualidade de vida, pois sintomas desagradáveis tais como desmaios, tonturas ou falta de ar desaparecem.


Os equipamentos do dia-a-dia podem dar interferência no seu marcapasso?

Marcapassos são feitos para os mais altos padrões e são rigorosamente testados. Como resultado disso, os problemas de interferência externa são muito raros.

  • – Em casa
    Equipamentos elétricos que você usa em casa – como secadores de cabelo e fornos de micro-ondas – não serão um problema. É orientado que você utilize esses equipamentos a pelo menos 15 centímetros de distância do marcapasso. Você também pode utilizar ferramentas de uso doméstico, tais como brocas, cortadores elétricos, chaves de fenda e etc, contanto que eles estejam em boas condições e bem conservados.

Qualquer dúvida sobre dispositivos eletrônicos ou equipamentos em particular, contate seu médico ou o manual do fabricante do marcapasso que lhe foi entregue no hospital.

  • – Telefones e equipamentos de informática
    Você pode usar com segurança o seu telefone celular ou sem fio, mas certifique-se de manter o telefone a mais de 15 centímetros do marcapasso. Sempre use o ouvido do lado oposto ao seu marcapasso, e não coloque o telefone no bolso da camisa sobre o seu marcapasso.
  • – Máquinas e equipamentos para tonificação do corpo:
    Máquinas ou dispositivos utilizados para o alívio da dor – por exemplo, ultrassom para o tratamento de dores articulares e artrite, e equipamento para tonificação do corpo dependem de pulsos rápidos e curtos que podem interferir com o marcapasso. Se você tem um marcapasso, contate o fabricante para obter mais informações sobre como utilizar estes dispositivos.
  • – Sistemas de segurança do aeroporto
    Sistemas de rastreio do aeroporto muito raramente causam problemas com marcapassos. No entanto, o detector de metal da segurança pode detectar um marcapasso quando você estiver viajando.
    Portanto, tenha certeza de levar seu cartão de identificação do marcapasso com você. Dessa forma, você poderá evitar o detector de metais.

Local de inserção do marcapasso

É importante manter a ferida seca nos primeiros dias enquanto ela cicatriza, por isso, após o banho enxugue com uma toalha limpa, sem friccionar o local. Você sairá com curativo do hospital e em casa já poderá manter sem curativo; caso ocorra pequeno sangramento, cobrir com gaze estéril.


Movendo o braço nas primeiras semanas:

Nas primeiras quatro semanas não levante o braço acima da altura do ombro com o braço do mesmo lado que está o seu marcapasso e não levante peso com esse braço. Isto por que o movimento de alongamento súbito pode deslocar o eletrodo do marcapasso do coração.

Após quatro semanas, os eletrodos já terão aderido ao coração e o risco de deslocamento diminui muito. Por isso que é muito importante voltar gradualmente para as atividades diárias normais e mover suavemente seu ombro e braço do lado do marcapasso.


Vou sentir o marcapasso dentro de mim?

Você não vai sentir o marcapasso trabalhando; em muitas pessoas será fácil notar a presença do gerador sob a pele. Inicialmente pode ser desconfortável dormir ou deitar em algumas posições devido à presença do marcapasso. Com a evolução normal da cicatrização, essa sensação desconfortável se tornará imperceptível em alguns meses.

Alguns pacientes percebem que estão levando um pequeno choque no local do marcapasso. Se isso acontecer com você, entre em contato com a equipe do SOS Cardio.


Posso Dirigir?

Você pode começar a dirigir novamente em duas semanas depois de ter seu marcapasso implantado, desde que você:

  • – Tenha comunicado ao DETRAN sobre o seu marcapasso;
  • – Não apresente quaisquer sintomas tais como tonturas ou desmaios;
  • – Continue a ir as suas revisões regulares com a equipe de marcapasso;
  • – Não seja um motorista profissional;
  • – Não tiver quaisquer outras condições que possa desqualificá-lo a dirigir;

Para maiores informações, entre em contato com nossa equipe ou consulte o documento:

“Sociedade Brasileira de Cardiologia e Associação Brasileira de Medicina de Tráfego.


Check List Rápido para o MP

1) Agendar a Avaliação com Anestesista:
Anestesistas Associados – Fone: (48) 3222-8690
Av. Othon Gama D´Eça, Ed. Casa do Barão, nº 900,
2º andar, sala 211 / Centro de Florianópolis

Para a Consulta com Anestesista

  • – Levar exames de laboratório e Raio-X conforme solicitado
  • – Levar RG, Carteira do Convênio
  • – Exames Anteriores que tiver

Para o Colher o Exame de Sangue e Urina (Pré-operatório)

  • – Jejum de 4 horas
  • – Estar sem urinar por 2 horas

implante-de-marcapasso


No Dia do Procedimento:

  1. Tome os remédios conforme orientação da equipe de eletrofisiologia e seu médico.
  2. Jejum absoluto de 6h
  3. Trazer a receita das medicações que está tomando
  4. Trazer o RG e carteira do convênio
  5. Objetos pessoais de higiene
  6. Vir acompanhado

implante-de-marcapasso


Como nos encontrar:

Nossa equipe encontra-se sediada no Hospital SOS Cárdio em Florianópolis, mas os médicos também trabalham em seus consultórios privados. Em caso de Emergência, procure alguém da equipe ou atendimento na Emergência do Hospital SOS Cárdio ou em hospital mais próximo da sua casa.

Entre em contato conosco!

Florianópolis

  • Dr. André d’Avila – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
  • Dr. Alexander Dal Forno – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica UNICARDIO – (48) 3028-2300
  • Dr. Helcio Nascimento – Arritmologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica Prevencordis – (48) 3037-3900 ou 3037-3937
  • – Dr. Fabrício Mallmann – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055
    Clínica Prevencordis – (48) 3037-3900 ou 3037-3937

Blumenau

  • Dr. Andrei Lewandowski – Eletrofisiologista Cardíaco
    Hospital SOS Cárdio –(48) 3212-5055
    Clínica Cardio Prime – Blumenau – (47) 3041-2130

Enfermeira

  • – Gabriela Geraldi – Enfermeira da Equipe de Arritmias
    Hospital SOS Cárdio.
    Telefone (48) 3212-5055 e (48) 9922-1422
    Email: gabriela@sinuscordis.com.br

Administrativo

  • – Morgana Roberto
    Hospital SOS Cárdio – (48) 3212-5055 e 8448-7768
    Email morgana@sinuscordis.com
  • – Cristiane Toshimitsu
    Hospital SOS Cárdio –(48) 3212-5055 e 9947-8512
    Email cristiane@sinuscordis.com